Tribunal Federal dos EUA adia proibição do TikTok no país

Por Redação/Promoview 29/09/2020 - 10:24 hs
Foto: Reprodução

Em mais um capítulo da novela “O que será do TikTok nos Estados Unidos”, o Tribunal Federal do país resolveu adiar a proibição do uso da plataforma no país, que entraria em vigor na segunda-feira, 28/09. Com isso, os usuários podem continuar utilizando o app.

A briga entre o TikTok e o governo norte-americano já tem durado meses. A plataforma que pertence à empresa chinesa ByteDance virou alvo de investigações do governo desde conquistou um sucesso imenso com o público do país. 

Depois de análises feitas por diversas agências federais, incluindo a Administração de Segurança no Transporte, o Departamento do Estado e o exército.

O jeito encontrado pela ByteDance foi negociar o TikTok e permitir que investidores norte-americanos controlem a plataforma. Isso rendeu uma outra novela: “A compra do TikTok”. 

Grandes empresas se interessaram por adquirir o app do momento e a Microsoft parecia estar à frente das negociações o tempo todo.

Porém, no dia 14/09, a Oracle confirmou um acordo com a ByteDance que a torna “O provedor confiável de tecnologia” do TikTok nos Estados Unidos.

Mesmo com a aquisição do TikTok pela Oracle, a treta não acabou. Quatro dias depois do anúncio da negociação, o Departamento do Comércio estadunidense avisou que o TikTok e o WeChat seriam bloqueados no país a partir do dia 20/09. 

De acordo com o secretário do comércio Wilbur Ross, a ação foi tomada seguindo ordens de Donald Trump.

O TikTok, por sua vez, entrou com uma ação judicial contra o governo também no dia 18/09, num esforço para impedir que a proibição entrasse em vigor na noite de domingo. 

Na sexta-feira, o governo pediu ao tribunal que rejeitasse a liminar em uma moção lacrada, que mais tarde o governo reformulou como uma moção pública. 

Uma audiência pública sobre a liminar foi marcada para a manhã do domingo e o tribunal decidiu pelo adiamento da proibição da plataforma no país. Com isso, o Tribunal Federal vai considerar a legalidade do decreto e se o aplicativo realmente representa um risco para a segurança nacional, como afirma o presidente Donald Trump.

Atualmente, o TikTok, que tem 100 milhões de usuários apenas nos Estados Unidos. A nova decisão é apenas mais um episódio da saga que não deve chegar ao fim tão cedo. Nem os especialistas apostam que um acordo entre a ByteDance e o governo dos Estados Unidos saia em breve.